cv.abravanelhall.net
Novas receitas

Maria's, o segredo mais bem guardado dos locais em Boston

Maria's, o segredo mais bem guardado dos locais em Boston


We are searching data for your request:

Forums and discussions:
Manuals and reference books:
Data from registers:
Wait the end of the search in all databases.
Upon completion, a link will appear to access the found materials.


Todo mundo sabe disso Pastelaria do Mike e Pastelaria Moderna são os lugares para ir para cannolis no North End de Boston. Isso é Maria’s Pastry.

Tal como acontece com o Modern, os cannolis do Maria são preenchidos mediante pedido, mas com a vantagem adicional de perder a maioria dos turistas. Localizado perto da Hanover Street, a rua principal do North End, o Maria’s tem todas as reivindicações de autenticidade (familiar e operado desde 1982, receitas italianas tradicionais), mas possui uma atmosfera refrescante. O lugar tem uma vibração de pegar ou largar. Há iluminação fluorescente, um gato vagueia e, durante uma visita, um cliente foi repreendido por reclamar das minipizzas.

Depois que você faz o pedido atrás do balcão e se senta, eles praticamente se esquecem de você, o que é uma coisa boa, considerando que você não vai querer se distrair. O cannoli tem uma casca externa crocante, mas não excessivamente frágil, recheada com um creme de ricota macio, não muito doce e de sabor incrivelmente fresco que rivaliza com qualquer coisa encontrada nos destinos de confeitaria mais populosos.


Os 9 Bloody Marys mais icônicos de Nova Orleans

Há um motivo pelo qual Nova Orleans é mais comumente conhecida como "The Big Easy". Desde sua vida noturna 24 horas por dia até sua vibrante cena de música ao vivo, é sempre fácil encontrar entretenimento ... e algo para beber.

Que melhor maneira de celebrar a Louisiana, lar de alguns dos molhos mais quentes do mundo, do que com um estimulante sem fundo e bêbado nas manhãs de sábado? Aqui estão alguns restaurantes que servem alguns dos Bloody Marys mais apimentados e celebrados que o NOLA tem a oferecer.

1. Apolino

Foto cedida por @nolafoodandtravel

Eles não o chamam de "Deluxe Bloody Mary" à toa. O Bloody Mary feito em casa de Apolline coberto com feijão verde picante, tomate cereja, limão, lima e até camarão cozido é comumente confundido com uma refeição própria.

#SpoonTip: Combine este Bloody Mary com o famoso Crispy Chicken Confit e torradas francesas de Apolline.

2. Atchafalaya

Foto cortesia de eatingwithziggy.com

Para quando você precisar fazer uma pausa em seu bufê de saladas do refeitório diário: Atchafalaya redefiniu o termo “bufê de saladas” ao transformá-lo em um bar de Bloody Mary. O dono do restaurante, Tony Tocco, até disse: "Parecia uma coisa boa a se fazer, basicamente um buffet de saladas para a vodca".

3. Willa Jean

Você sabe que vai sair satisfeito quando for a um dos restaurantes do Chef John Besh. Desde a sua inauguração, Willa Jean já se tornou um dos restaurantes mais importantes da primavera de 2016 em Nova Orleans, e este coquetel matinal refrescante vai reafirmar isso.

4. Cozinha de Dante

Foto cortesia de fleurdelicious-nola.com

Dante’s Kitchen é um alimento básico da parte alta da cidade, mais conhecido por usar uma abundância de ingredientes frescos locais. Isso inclui tomates frescos e ervas que são cuidadosamente misturados para criar a quantidade perfeita de tempero em seu Bloody Mary mundialmente famoso.

#SpoonTip: Se você também deseja ser criativo e fazer seu próprio mix de Bloody Mary feito em casa, não procure mais.

5. Elizabeth's

Comumente conhecido como um dos melhores brunches embriagados da NOLA, não é nenhuma surpresa que seu Bloody Mary feito em casa tenha entrado nessa lista.

6. Hotel Monteleone

Foto cedida por @hotelmonteleone

Todo mundo em Nova Orleans já ouviu falar sobre o ostentoso Carousel Bar do Hotel Monteleone. Venha aqui para se sentir como o adulto maduro que você não é e jogue de volta uma ou duas Mary.

7. Passagem de passagem

Foto cortesia de wayfarenola.com

Ah, sim, outro bar inovador de Bloody Mary. Se você está procurando um brunch como nunca fez antes, vá para o Wayfare. E certifique-se de engolir seu decadente BLFGT (bacon, alface, tomate VERDE FRITO) com um Bloody Mary feito à mão.

8. Araña

Foto cedida por @arananola

Normalmente, esse ponto de encontro mexicano não é o primeiro lugar que vem à mente quando você pensa em Bloody Mary. Seu especial “Bloody Maria” é repleto de cerveja e aprimorado com Bloody mix caseiro e uma borda salgada picante.

9. Brick & amp Spoon

Foto cedida por @brickandspoon

Quando há uma seção específica do Bloody Mary no menu do restaurante, você sabe que este lugar é importante. Os clientes podem escolher o tipo de vodka, o nível picante e qualquer coisa que deseje, como um feijão verde em conserva ou um ovo cozido. Força para o cliente. Mas, na verdade, poder para o Bloody Mary, porque essa coisa é enorme.


Relembrando o Old Stove Pub em Sagaponack

O Old Stove Pub em Sagaponack era um dos restaurantes mais icônicos do East End & # 8217s.

Craig Claiborne e Pierre Franey publicaram a receita de moussaka do Old Stove Pub em seu New York Times coluna de comida em 11 de setembro de 1977, e a partir daí tudo foi difícil para a família Johnides.

Mama Bessie, como Vasiliki Johnides era conhecida, foi casada com seu marido John Johnides por 57 anos antes de ele morrer em 1969 e ela se mudou de Boston para Sagaponack para abrir uma taverna grega à beira da estrada com três de seus quatro filhos.

Quando Mama Bessie faleceu, um dia após seu 92º aniversário, em 18 de junho de 1992, sua filha Coula estava cumprimentando os clientes na porta e administrando o chão, assim como sua mãe. Coula, e os bifes fortemente carbonizados, eram as razões pelas quais as pessoas continuavam voltando para o grego, apesar de seus modos um tanto rudes.

Billy Joel era um regular e quando ele não aparecia por um tempo, Coula perguntava a ele: "Billy, onde você esteve?" e belisque-o na bochecha. Ela não sabia que ele era um músico famoso com um show regular no Madison Square Garden. Para ela, ele era apenas um regular. "Tenho trabalhado", Joel disse a ela.

Ela nunca negou que amava John F. Kennedy, Jr.

Seus dois irmãos Stephen e Constantine, ou Steve e Gus, como eram mais conhecidos, trabalhavam na cozinha e atrás do bar, respectivamente. Eles também eram personagens e, às vezes, Coula e Gus ficavam na mesma moeda na frente dos clientes. De alguma forma, isso aumentou o charme do lugar instável.

As tábuas do assoalho estavam empenadas. O piano de cauda desafinado.

As tábuas do assoalho estavam empenadas. O piano de cauda desafinado. As cadeiras de jantar eram mais adequadas para um piquenique ao ar livre, assim como as toalhas de mesa quadriculadas vermelhas e brancas. A porcelana era incompatível. O bar era minúsculo. A varanda coberta do “pôr-do-sol” pode estar fria e a área de jantar interna pode estar quente.

Nada era mais quente do que a grelha de parede de tijolos que queimava a uma temperatura constante de 600 graus. O saganaki assado, o moussaka, o pasticcio, os bifes prime, envelhecidos a seco no local, sem falar nas autênticas saladas gregas, a taramasalata, os vinhos gregos e o ouzo.

A comida e o ambiente eram caseiros, porque o restaurante era um lar. Originalmente uma casa de fazenda de 1820, a propriedade inclui um restaurante de 75 lugares com um bar de 10 lugares e lareira aconchegante, e uma casa de 3 quartos, um estúdio de artista e vários anexos.

Quando a família Johnides se mudou, o pub foi chamado de 19th Hole, em referência ao Poxabogue Golf Course ao lado, que tinha 18 buracos na época. Eles jogaram fora um velho fogão na beira da estrada, daí o nome que ainda permanece no letreiro de néon, uma seta vermelha apontando o caminho.

& # 8220 Não havia dúvida de que Coula era o chefe. & # 8221

Jim e Maria Hatgistavrou, proprietários do Wainscott Inn mais adiante, eram clientes de longa data. “Somos gregos. Podemos comer e conversar ”, disse Maria em uma noite de verão de 2018. Eles estavam sentados em uma das grandes mesas redondas na varanda com seus amigos Anastasia e George Gavalas.

"Ela disse como é", disse Anastasia. “Então me deu um ótimo bife.” Quando Coulas descobriu que os Gavalas eram construtores, ela disse que tinha 15 acres à venda.

“Coula era um pouco agressiva”, disse Maria. “Ela sempre favoreceu os homens. Gus era o barman e um mulherengo. Steve era o quieto. ” Não havia dúvida de que Coula era o chefe. Quando um bife ficou preto como carvão, Maria disse a ela: "Desculpe, não posso comer este bife".

"Você é grego?" Coula respondia com voz severa. “Ela estava gritando comigo, me dizendo que eu não sei como comer bife,” Maria riu da memória. "Ela amou o restaurante."

Ela nem sempre amou as namoradas de Gus, no entanto, e chegou a dizer ao Hatgistavrous para não alugar um quarto para um de seus amantes. Nem é preciso dizer que todos os irmãos permaneceram solteiros.

Gus, que também era artista, mantinha um ateliê a poucos metros do restaurante. Uma noite, um amigo e eu fizemos um tour depois do jantar e descobrimos seu galho de árvore e esculturas de roupas íntimas femininas. Ele não passava de um cavalheiro, no entanto, alguns outros itens encontrados após sua morte em 15 de agosto de 1999, aos 81 anos, eram realmente não mencionáveis.

Gounelas trouxe a juventude para a mesa. Ele tinha bandas de reggae e blues tocando no gramado, DJs de techno, noites temáticas de karaokê que iam dos Beatles ao hip hop dos anos 90 e até filmes ao ar livre.

Steve, que ensinou ao açougueiro uma ou duas coisas sobre carne seca de envelhecimento, lidou com o frango Southbend (não é uma tarefa fácil) e deu aos famosos chefs sua receita de moussaka, morreu em 17 de abril de 2002, também aos 81 anos.

“A certa altura, fechou”, disse Maria sobre a churrascaria. “Desde que foi reaberto, não paramos de vir. Somos amigos de George desde sempre. ”

George Gounelas é o anfitrião final e, em última análise, o último anfitrião do Old Stove Pub. “Especialmente no inverno, eles são todos regulares. Na sexta-feira, eu sei exatamente quem está vindo ”, disse ele durante o culto no verão passado. “Esse é o tipo de ambiente que gosto de ter. Faça as pessoas se sentirem confortáveis. ”

Gounelas, 37, cresceu em Shirley e serviu como coroinha na Dormição da Virgem Maria, a Igreja Ortodoxa Grega de Hampton em Southampton quando tinha oito anos de idade. “Eu sou grego”, disse ele durante o culto no verão passado. “Meu pai tinha uma lanchonete em Farmingville, Chris’s Diner, e eu trabalhei como legítimo dos sete aos 21 anos.”

Ele conheceu a família Johnides e muitos de seus clientes regulares durante grande parte de sua vida. “Coula estava muito envolvida com a igreja grega”, disse ele. “Ela amou isto aqui. Ela vinha aqui uma vez por semana. ”

Gounelas trouxe a juventude para a mesa. Ele tinha bandas de reggae e blues tocando no gramado, DJs de techno, noites temáticas de karaokê que iam dos Beatles ao hip hop dos anos 90 e até filmes ao ar livre.

Antes da gestão de seis anos de Gounelas, o chef local Colin Ambrose manteve os reinados por dois anos.

“Jimmy Fallon não vai embora. Seis anos, todas as semanas ”, disse Gounelas montando um karaokê em uma noite de quinta-feira de julho, dois meses antes do fechamento. “Ele estava tocando o tema de Zelda no piano na noite passada.”

Antes da gestão de seis anos de Gounelas, o chef local Colin Ambrose governou por dois anos. “Eu administrava o Old Stove Pub em 2007 e 2008”, disse ele recentemente.

Na família Johnides, comer no Old Stove era como comer na casa da sua avó no jantar de domingo. Foi amoroso, mas um pouco disfuncional. Gounelas atraiu uma atmosfera divertida, frenética e fraterna. Ambrose era o verdadeiro apreciador de comida.

O investidor Brian Murray tinha frequentado regularmente o primeiro restaurante de Ambrose, Estia's. Os dois se encontraram em Rowdy Hall na primavera de 2007 e começaram a fazer um plano que se encaixava na agenda lotada de Ambrose, bem como no envelhecimento do sistema séptico.

Eles passaram dois meses separando os restos de 40 anos da família e limpando a cozinha, a varanda do pôr do sol, o bar e a sala de jantar. Eles afinaram o piano e abriram no Memorial Day, de domingo a quinta-feira daquela primeira temporada.

“Coula não ajudou muito”, disse Ambrose. “No entanto, fui capaz de determinar muitas das chaves para a obtenção de produtos, como o principal fornecedor de carne de seu irmão Stephen, e várias receitas vasculhando antigos recibos e faturas empilhados até a cintura no escritório do andar de cima.”

“Eu também encontrei uma receita antiga que foi publicada na The New York Times Magazine nos anos 70 para Moussaka em uma moldura em uma prateleira no fundo de um armário”, disse Ambrose. “O vidro da moldura estava quebrado.”

Ele encontrou a receita original de “calda de chocolate frio”, uma sobremesa de calda de calda congelado que estava no cardápio do Old Stove Pub há anos.

“Eu também encontrei uma receita antiga que foi publicada na The New York Times Magazine nos anos 70 para Moussaka em uma moldura em uma prateleira na parte de trás de um armário”, disse ele, “O vidro da moldura estava quebrado”.

Foi depois que essa história saiu, as celebridades invadiram. Barbara Walters, Hugh Carey, Truman Capote, George Plimpton, Peter Maas, Mario Puzo, Joseph Heller, Sidney Lumet, Elia Kazan, Gloria Vanderbilt e Calvin Klein vieram para a moussaka, mas voltou para muito mais.

A receita também foi publicada em "Craig Claiborne’s Favorites do New York Times: Volume 4." Eu localizei o livro, graças a Diane Franey, filha de Pierre Franey, que escreveu a peça “Moussaka for the Masses”, com Claiborne.

“Um dos melhores moussakas que conhecemos é aquele feito por Steve Johnides, cozinheiro-chefe e proprietário do Old Stove Pub em nossa cidade natal, East Hampton.” Perto o suficiente. “Embora o tamanho desta receita faça com que pareça difícil, na verdade é muito fácil de preparar”, diz a história.

Até Diane, que fez a receita, teve que discordar disso. “Olha, você tem que fazer o molho bechamel e o molho de tomate”, ela disse sentada no balcão da cozinha. São 22 etapas, sem incluir os molhos.

Ambrose substituiu a carne na receita original por cordeiro do Cromer & # 8217s Market em Noyac, e para um jantar de colheita, veado Quail Hill. Ele o preparou em panelas de hotel um dia antes, conforme a receita: “Dessa forma, a moussaka tem a chance de‘ endurecer ’e, portanto, é mais fácil de cortar em pedaços para servir.”

“Vendeu bem e foi o item de entrada mais barato do menu”, disse Ambrose.

John Legend, Shakira, Rocko DiSpirito, Jon Bon Jovi, Ronald Lauder, Kelly Klein e em mais de uma ocasião, o pianista Peter Duchin apareceu para jantar e sentou-se ao piano depois de seu bife.

As fatias cortadas foram finalizadas no convés superior dos frangos, acima dos queimadores, mesmo local onde derreteram o saganaki e um aperitivo de queijo kasseri. “Aquela caixa acima dos frangos manteve uma temperatura constante de 600 graus para que as capturas fossem rápidas”, disse Ambrose. “Lembro-me de incinerar alguns de cada um desses pratos em noites movimentadas.”

As celebridades ainda rolavam para o local. John Legend, Shakira, Rocko DiSpirito, Jon Bon Jovi, Ronald Lauder, Kelly Klein e em mais de uma ocasião, o pianista Peter Duchin apareceu para jantar e sentou-se ao piano depois de seu bife.

“Minha noite favorita foi uma quinta-feira de agosto de 2008, quando os maiores empresários de churrascarias do mundo, Allan Stillman e Peter Morton, vieram jantar na varanda do pôr do sol e pediram nossas tiras de Nova York fatiadas com 60 onças com osso, em diferentes tabelas. ”

“Os bifes eram nobres tiras '179' envelhecidas em 30 dias, com osso, que cortamos em 3 polegadas na serra de fita”, disse ele. “Também cortamos bifes porterhouse diariamente a 7 centímetros. As cremalheiras de cordeiro do Colorado foram cortadas para 1,5 polegadas ”.

Christopher Gachot de Gachot e Gachot, era o segredo mais bem guardado do Antigo Fogão. O açougueiro trabalhava fora do mercado de carnes, na 440 West 14th Street, em Manhattan, naquela época. Agora, é a localização da loja de roupas femininas Diane Von Furstenburg.

“O nome mudou enquanto eu comprava deles”, disse Ambrose.

“Pelo que entendi, durante anos Stephen dirigiu até a cidade e comprou carne envelhecida no distrito de frigoríficos”, disse Ambrose. “Ele então trazia a idade de 179 de 30 dias de volta para o Old Stove Pub e os envelhecia por mais 30 dias ou mais.”

Ambrose serviu Cabernet Franc de seu vizinho Wölffer Estate Vineyard como vinho da casa para acompanhar seus bifes, e Christian Wölffer também era um regular. Na verdade, o enólogo pensava em comprar o Old Stove Pub pouco antes de sua trágica morte em um acidente de natação na costa brasileira.

Com a economia afundando mais rápido do que o Titanic, Murray abandonou a ideia de fechar um negócio com outros investidores e a propriedade ficou vazia por quatro anos.

Gounelas conheceu o restaurateur e o rei do pretzel da cidade de Nova York, Tom Makkos, em seu restaurante em Southampton, Nammos Estiatorio, antigo Nello’s Summertime. Makkos e o seu sócio Tim Salouros de Trata no Moinho de Água, instalaram Gounelas como gerente geral em 2012 e novamente, o Old Stove Pub foi remodelado e o antigo menu foi revivido.

O Old Stove Pub está atualmente à venda por $ 3.495.000, abaixo do preço original pedido de $ 4.295.000 em setembro de 2018, semanas após o fechamento definitivo.

A ausência de ouzo e taramasalata foi a primeira bandeira vermelha de que algo estava errado no Old Stove Pub durante minha última visita. As cadeiras estavam empilhadas em cima das mesas na sala de jantar dos fundos, que parecia mais uma área de armazenamento do que um lugar para “Venha para o grego”, como seu antigo slogan proclamava.

Coula vendeu vários grandes lotes residenciais adjacentes ao Old Stove Pub, bem como sua casa em Bridgehampton, pouco antes de morrer em 15 de março de 2018 aos 90 anos.

Menos de um mês após sua morte, em 10 de abril de 2018, uma transferência imobiliária denominada "Bridgehampton Restaurant" foi vendida para & # 82203516 Montauk Highway "por US $ 1,9 milhão, para a propriedade em 3516 e 3510 Montauk Highway, o local do Old Stove Pub. Ele está à venda atualmente por $ 3.495.000, abaixo do preço original pedido de $ 4.295.000 em setembro de 2018, semanas após o fechamento definitivo.

Durante seus últimos anos, ela doou dinheiro suficiente para a Igreja Ortodoxa Grega de Hamptons para que construíssem o Centro Cultural da Família Johnides. O edifício de calcário, granito e mármore foi inaugurado em 2013 na St. Andrews Road em Southampton e inclui sete salas de aula de última geração, uma sala de recreação, uma sala de conferências, escritórios administrativos, uma biblioteca e uma cozinha totalmente equipada.

Além disso, a Fundação da Família Johnides garantirá a manutenção do prédio, bem como o sucesso contínuo de vários programas de ministério dentro da estrutura. De acordo com Gounelas, Coula envergonhou muitos doadores abastados com suas contribuições quando a Igreja estava levantando fundos para uma reconstrução completa.

“Uma velhinha chamou-os para fora”, disse ele. "Ela era persistente, mas uma boa senhora."

Em seu obituário, o padre Alexander Karloutsos, da Igreja, disse que Coula era como o bife do Old Stove Pub. "Carbonizado por fora, mas sensível por dentro."


Como eles se parecem?

As águas verdes da Lagoa do Fogo, apenas a 15 minutos de carro da capital Ponto Delgado. Foto: Cortesia da Visit Azores A comparação mais próxima é que os Açores são o Havaí do Atlântico, sendo íngremes, bonitos, selvagens, mas com o acréscimo de 500 anos de cultura europeia.

Existem lagos azuis rodeados por florestas de louro e cedro, e pastagens verdes modelando as encostas de caldeiras épicas.

Litorais rochosos selvagens são interrompidos por praias de areia, enquanto fontes termais borbulham perto de cidades com arquitetura portuguesa. A capital Ponta Delgada apresenta ruas de paralelepípedos em mosaico que serpenteiam até uma marina repleta de restaurantes incríveis (e super acessíveis) de frutos do mar.


Haute Secrets Boston: Taniya Nayak da HGTV

Taniya Nayak é mais conhecida por seu trabalho como especialista em design na HGTV e no Food Network’s Restaurant: Impossible com Robert Irvine, mas ela é mais conhecida em Boston por sua empresa de design de interiores local, Taniya Nayak Design LLC. A personalidade da TV e designer premiada leva seu estilo único e transforma espaços comerciais e residenciais em um design limpo e moderno. (Seus designs podem ser vistos em restaurantes locais em Boston, incluindo Whiskey Republic, Julep Bar e Abby Lane).

Nayak é regular nos programas da HGTV, incluindo Confronto, estrondo para seu dinheiro e Especiais da Casa Branca e apareceu em várias revistas, incluindo People, Cosmopolitan, Glamour.

Ela também apareceu no The Oprah Winfrey Show, NBC & # 8217s Today e Rachael Ray. Na próxima semana, ela fará uma festa para a estreia da temporada de "The Great Christmas Light Fight", da ABC, que ela co-apresenta, na segunda-feira, 7 de dezembro, das 19h às 22h. no restaurante Back Bay Harry, do qual ela também é co-proprietária. O evento beneficiará a organização sem fins lucrativos Smile Train.

Nós conversamos com ela recentemente para descobrir o que ela mais ama em Boston.

Onde você nasceu? Índia

Quanto tempo em Boston? Desde que eu tinha 2 meses

Onde você mora agora? Milton

Ocupação? Designer de interiores e apresentador de televisão (HGTV, Food Network, ABC) e embaixador da marca Ellen Degeneres & # 8220ED on Air & # 8221 linha de decoração para casa.

Melhor Sushi: Fuji em Quincy

Melhor italiano: Café Bella em Randolph

Melhor sobremesa: Bolo de cenoura no Ashmont Grill

Melhor lugar para um encontro romântico: Lar

Melhor brunch de domingo: Back Bay Harry & # 8217s em Boston Back Bay e The Poynt em Newburyport

Melhor lugar para uma reunião de negócios poderosa: Bostonia Public House

Se você tiver hóspedes de fora da cidade, qual hotel você recomendaria? The W ou The Revere

Local de compras / boutique favorito: Club Monaco Prudential Mall

Melhor Spa: Katana Salon and Spa em Winchester

Evento de caridade favorito: Room to Dream

Melhor Steakhouse: Ruth’s Chris Steak House em Boston

Melhor Pizza: The Poynt em Newburyport

Melhor academia / instalação atlética: Milton Hill Sports Club

Melhor Massagem: Massagem por Miro no Milton Hill Sports Club

Melhor serviço de direção: Uber

Lugar histórico / lendário favorito para ver ou explorar: The Freedom Trail

Descreva Boston em três palavras: Real, Bonito, Divertido

Local favorito geral em Boston, seja um bairro, restaurante, local ou outro: McGreeveys na Boyston St. (melhor lugar para assistir a um jogo)


VisitAnnaMaria


Este tipo de lugar perfeito de cartão-postal se move em um ritmo muito lento. Muitas vezes conhecida como o segredo mais bem guardado da Flórida, Anna Maria Island fica na ponta sul de Tampa Bay e no Golfo do México e está situada ao norte de Longboat Key. Deixe o carro em casa e viaje pela ilha de trólebus. Pedale ou caminhe até seu bebedouro favorito para apreciar o pôr do sol. Hospede-se em um dos hotéis da Ilha Anna Maria ou em casas de aluguel por temporada espalhadas pela Ilha.
Não há prédios altos nesta área, apenas casas com a sensação de & ldquoOld Florida & rdquo, em bairros que não estão longe da beira da água. Um caiaque ou barco de pesca é o meio de transporte preferido para explorar as enseadas e canais que abrigam Snook e Redfish sob as antigas docas de pesca. Com uma temperatura média de 75 graus, esta atração durante todo o ano com seu ambiente descontraído é o lugar para relaxar, aproveitar o sol e desfrutar das delícias de alguns dos restaurantes premiados. As praias da Ilha Anna Maria são algumas das melhores da Costa do Golfo. Não apenas pelas areias brancas e macias e pela rica água azul turquesa, mas pelos pores-do-sol mais incríveis pelos quais esta parte do mundo é famosa.

Peixes-boi e golfinhos


A vida selvagem está em abundância em todos os lugares que você olhar. Passeie pela costa e procure ocasionais peixes-boi e golfinhos-nariz-de-garrafa logo além das ondas. Maio a julho é a época de desova das tartarugas, por isso tome cuidado por onde anda. Papagaios selvagens podem ser ouvidos tagarelando nas árvores ou vê-los voar em massa em busca de um lugar seguro para pousar. Nos meses de verão, as tartarugas desembarcam para colocar seus ovos. Garças vão esperar perto do pescador, prontas para roubar a isca de seu balde de pinfish e shiners. Pelicanos sentam-se pacientemente nos manguezais e se empoleiram no poste do convés, esperando os peixes passarem nadando. Sente-se um pouco na sombra sob os Australian Pines, a aveia do mar dançando ao vento, andorinhas e Sandpiper correndo entre as ondas, com fome de caranguejos e crustáceos.

As atrações mais populares das áreas


Cada um dos três píeres de pesca são lugares para sentar e ver o mundo passar. Com as redes nas mãos, os moradores lançam suas malhas pesadas sobre um cardume de tainhas que se aproxima. Se a captura for boa, às vezes é muito pesada para ser levantada de volta ao convés. O Rod and Reel Pier oferece vistas incríveis de Egmont e Passage Key, enquanto o mais popular Anna Maria City Pier oferece uma visão mais detalhada da Ponte Skyway ao longe. Observe os navios de cruzeiro e de carga partindo de Tampa Bay para destinos desconhecidos navegando delicadamente sob sua extensão. Peça à garçonete um assento na janela do City Pier Restaurant e observe o pescador cambaleando em um grande. Nos fins de semana, quando o sol se põe, ouça Howie no Violão tocando músicas solicitadas ou converse com Bill, o cara do rock, que vende seus produtos, polindo suas pedras e fósseis fora do restaurante. A sorveteria em Bayside é popular entre jovens e velhos e serve guloseimas até tarde da noite, bem depois do pôr do sol.

Pegue o Trolley com sua tarifa de cortesia enquanto ele percorre toda a extensão desta ilha, 11 km de comprimento, parando em pontos populares no caminho. Galerias de imagens exibem representações maravilhosas de artistas locais. Holmes Beach Captain & rsquos atracam seus navios na Catchers Marina e casais caminham pelas lojas da praça em busca de um souvenir para salvar a memória.

A ilha de Anna Maria só era acessível por barco até 1921. Os passageiros chegavam de balsa a vapor do porto próximo de Tampa, saindo do barco no cais da cidade de Anna Maria. Os visitantes da ilha caminhariam pela Pine Ave até a praia e se sentariam na areia branca como açúcar para assistir ao pôr do sol no Golfo do México. Uma ponte foi finalmente construída a partir da vila de Cortez, no lado leste da ilha, através da hidrovia intra costeira. Partes da ponte ainda hoje são o cais de pesca no Bridge Street Pier na cidade de Bradenton Beach.

Onde fica a ilha Anna Maria?


Direções - Anna Maria Island fica a 53 milhas do Aeroporto Internacional de Tampa (uma curta viagem de 1 hora).
Pegue a I-275 South de Tampa, atravesse a deslumbrante Skyway Bridge com vista para a Baía de Tampa. Em seguida, siga a rota 19 a 64 para oeste, que o levará às praias e à Praia de Holmes. (Mapa do Google, Aeroporto de Tampa)

O Aeroporto Internacional de Sarasota - Bradenton fica a cerca de 18 quilômetros de distância, o que leva em média 30 minutos de carro.
Pegue a rota 41 em direção a Bradenton, siga para oeste na rota 70 (Cortez) até a 75th St. Pegue a 75th Street North até a 64 oeste (Manatee Ave). Siga a 64 até as praias e a Ilha Anna Maria. (Google Map, Aeroporto de Sarasota)

Esteja você planejando um casamento na ilha, procurando um imóvel, férias na praia ou aluguel por temporada na Ilha Anna Maria de uma das empresas de gerenciamento locais, use este diretório de negócios para encontrar o que você precisa.

Tire muitas fotos quando chegar para compartilhar com amigos e parentes, sabemos que você estará de volta.


Padaria Bova. / Fotografia de Jared Kuzia

Por um lado, você não pode jogar um cannoli sem acertar um ótimo restaurante no North End de Boston. Por outro lado, quando há tantas opções, é difícil decidir para onde ir em uma determinada noite. Permita-nos, então, restringir o escopo a um punhado de favoritos que nunca deixam de entregar - incluindo trattorias recheadas de massas, pizzarias, padarias incríveis e muito mais. (Obviamente, esses tempos são incomuns, nunca é demais ligar com antecedência e verificar novamente o status operacional - especialmente se você espera conseguir lugares ao ar livre no cenário do pátio expandido do North End, que voltou para outra temporada.)

Arya Trattoria

O que Melissa McCarthy, the Rock e Joey Kramer têm em comum? Todos eles jantaram neste restaurante íntimo no segundo andar, onde o restaurateur Massimo Tiberi, pela primeira vez, atraiu uma multidão de celebridades grandes e ... não tão grandes (tchau, Kris Humphries) nos últimos anos. Talvez seja sua saudação genuinamente calorosa de "Bem-vindo à minha casa" no início da refeição. Talvez seja o conselho especialista em emparelhamento de vinho - um nebbiolo recomendado pelo servidor era estruturado e robusto, o acompanhamento ideal para nosso ossobuco dolorido. Ou talvez sejam apenas as porções generosas de comida italiana regional melhor do que a média.

Padaria Bova

Rotatividade frequente geralmente não é uma coisa boa no setor de hospitalidade. Mas ajudou a Bova’s Bakery - o local preferido do estudante universitário embriagado para um rabo de lagosta recheado com creme ou recheado com queijo e almôndega Bolinho de arroz às 3 da manhã - continue no mercado por quase um século. Três famílias extensas, todos descendentes do fundador George Bova, administram cada uma a padaria sempre aberta por seis meses antes de entregá-la para o próximo “turno” de administração.

Gnocchi Sorrentina está no menu para viagem do restaurante Bricco do North End. / Foto cortesia do Bricco

Se você sentir que está sendo cuidado por uma aldeia italiana inteira quando janta no carro-chefe da Frank DePasquale na Hanover Street, é porque você: Os pães, massas frescas e carnes importadas do restaurante são provenientes do próprio mundo antigo de DePasquale panetteria e salumeria próxima porta. Seu grupo de restaurantes, na verdade, é um mini império do North End, com estadia prolongada pensione acima do Bricco e vários outros restaurantes espalhados pela vizinhança. Mas este standby moderno ainda é o único a bater por seu menu bem executado de alimentos básicos italianos - nhoque macio assado com bufala mussarela era uma das favoritas - e pratos clássicos de churrascaria.

À primeira vista, este elegante restaurante de inspiração siciliana, com sua cozinha aberta, tijolos à vista e paredes frontais retráteis para os meses mais quentes, parece que pode pertencer ao South End. Mas uma colher de pratos de massa criativos do chef executivo Damien DiPaola - desde as fitas bem enroladas de fettuccine fresco acentuado com pesto de pistache e um toque de atum ahi vibrante até o incrivelmente rico cozido Rollati recheado com presunto e ricota - levará você de volta à Hanover Street.

The Daily Catch

Poucos restaurantes com entrada de $ 88 (a lagosta fra diavolo para dois) pode se safar servindo vinho em copos descartáveis, não aceitando cartões de crédito e pedindo aos hóspedes que passem na ponta dos pés pelo lava-louças para chegar ao banheiro. Mas o macarrão dourado com tinta de lula com alho, lula sem gordura e o tamboril surpreendentemente viciante Marsala neste íntimo buraco familiar na parede fará com que você se esqueça rapidamente desses pequenos inconvenientes. Embora não haja cardápio de sobremesas aqui (quem precisa de um quando há meia dúzia de padarias a uma curta distância?), No final de uma refeição, você pode se encontrar demorando-se na mesa, hipnotizado pelo show individual ao ar livre cozinha e os intermináveis ​​pratos de frutos do mar saindo quentes e rápidos.

Galleria Umberto

Pelas aparências, você não saberia que há algo de especial nesta pizzaria indefinida do North End: a operação que só aceita dinheiro parece uma cafeteria, não tem site, oferece apenas alguns itens e fecha quando eles esgotam (geralmente em meados -tarde). Mas qualquer pessoa que já experimentou as fatias sicilianas perfeitas e deliciosas da instituição que abrange décadas sabe que, mesmo em um bairro histórico repleto de competição, essas são praças verdadeiramente marcantes.

289 Hanover St., 617-227-5709.

La Famiglia Giorgio's. / Fotografia de Nina Gallant

La Famiglia Giorgio's

“It might even be as good as my mom’s” is a sentiment echoed over and over again inside this cozy Salem Street brownstone, where the Giorgio family has been churning out gargantuan portions of red-sauce classics for nearly three decades. Favorites range from the irresistibly spicy frutti di mare with fresh fettuccine (worth the $3 upcharge) to the tender eggplant Parm with a bright marinara.

In normal-times, it’s not uncommon to hear passerby mutter, “Is it really worth the wait?” to a legion of devotees lined up outside this seafood and pasta spot for more than an hour—on a Tuesday night. Answer: most of the time, especially if you have a big appetite. The budget-friendly restaurant sates the hungry masses with piles of butter-saturated garlic bread and heaping portions of chicken Parm, served with $20 bottles of wine. At $60 for two (or more) diners, the oft-Instagrammed zuppa di pesce, a staggeringly large platter of linguine with lobster, shrimp, scallops, calamari, clams, mussels, and your choice of sauce, is the best deal under the restaurant’s tin ceiling—and possibly in the whole neighborhood.

Note: Il Molo is temporarily closed.

For those who can’t, er, stomach the tourists and rose vendors clogging up Hanover’s sidewalks comes this waterfront spot, just a seven-minute stroll from the action but seemingly a world away. The dining room eschews the neighborhood’s traditional dark décor in favor of pearly glass tiles and marine blues and greens, creating a relaxed, contemporary ambiance for dinner with friends. Kick back with a creative cocktail—may we suggest an Il Molo Mai Tai, with rum, lemon, and almond?—before tucking into seafood-focused plates like shrimp-and-basil-stuffed trout with tomatoes and mussels daily house-made pasta with buttery lobster and mushrooms and the innovative hot seafood tower.

Serious tipplers won’t be disappointed by the selection at Lucca, which offers an of-the-moment beverage menu—cocktails like the herbal Moment in Thyme rotating craft brews on draft and a deep list of whiskeys—alongside a top-notch cellar of Italian and Californian wines. The kitchen is open past midnight, so before or after the game, post up at the dining-friendly bar for the white wine and saffron-bathed mussels with house-baked focaccia, or baked orecchiette with broccolini and fontina crema—like a northern Italian take on mac ’n’ cheese.

Mamma Maria. / Photograph by Jared Kuzia

Mamma Maria

Its name may suggest red-sauce casual, but this North Square townhouse restaurant is quite the opposite, focusing on refined Italian fare: Beef carpaccio with arugula and black truffles is a lighter spin on the mayo-topped version developed at Harry’s Bar in Venice, while fresh pappardelle pasta is tossed in a hearty Tuscan-style rabbit ragu. The service and setting—including several chandeliered private dining areas, one of which seats just four—is white-tablecloth formal. It’s a style that’s falling out of fashion these days, but is still comforting to revisit every once in a while, especially when it gives Nonna a chance to break out her pearls.

Neptune Oyster

With its sleek, brasserie-like interior, straight-from-the-water bivalves, and buttery, overstuffed lobster rolls, this landmark would earn a spot on any list of essential restaurants across Boston—not just those in the North End. Neptune remains consistently excellent both in the kitchen (try the comforting, seafood-packed cioppino and the sweet-savory johnnycake topped with honey butter, caviar, and smoked trout) and in the front of the house. Friendly yet firm hosts politely shoo out those keeping the door cracked open on a cold day, and make good on promises to call your cell in two hours when your seat at the marble bar is finally ready.

Take your chances rolling the 20-sided die that this quirky, contemporary Italian tavern offers to guests adventurous enough to accept a random selection from its secret list of numbered cocktails—no matter what you end up with, you won’t be disappointed. That said, if you’d rather know what you’re getting into, there’s plenty of spicy, sweet, and herbal tinctures described on the rotating menus of themed drinks, as well as the option to pair your favorite spirit with a shrub, offered in flavors like pineapple-citrus and blackberry-cilantro. All the tipples are equally excellent for washing down Parla’s modern small plates, which tap into some broader Mediterranean influences: Lamb skewers with cucumber labneh and a parsley, vidalia, and sumac salad, for instance.

Prezza

20 years after it opened, chef Anthony Caturano’s debut still hits the sweet spot between romantic hideaway (a candle on every table) and neighborhood hang (a game always on at the bar). Nestled on Fleet Street, the restaurant boasts a 27-page wine list and lush dishes such as raviolo di uovo, a single oversize orb of brown butter-drenched pasta filled with ricotta and egg yolk, and perfectly braised lamb shank. The minimalist dining room, with its gallery- style lighting and a few pieces of stark contemporary art, keeps the focus exactly where it should be—on your meal, and your company.

Regina Pizzeria

We can’t vouch for all the secondary locations of the North End-born pizzeria chain, but the original location—founded in 1926 and Boston’s oldest restaurant for brick oven pizza—remains legendary for a reason. The pies arrive with cheese bubbling, crusts crisped just-so, and sauce tantalizingly tangy. The atmosphere is a huge part of the experience too: Regina doesn’t look like she’s had a makeover for decades (that’s a good thing!) and the walls are covered in photos of major celebrities who have stopped by for a legendary slice or two.

Strega by Nick Varano

A glowing shelf with saffron-tinted Liquore Strega. Eight crystal chandeliers. A VIP photo wall. And yes, that’s really O padrinho e Bons companheiros playing on multiple televisions in the dining room. The extravagant interior sets the scene for an evening of larger-than-life cocktails—go for the Aperol spritzed with champagne and apple cider—and rich, indulgent fare, from a huge grilled tenderloin to cacio e pepe that is prepared table-side in a giant wheel of cheese.

Table by Jen Royle opens on Jan. 22 in the North End. / Photo provided

In non-pandemic-times, guests gather at a single communal table inside sports reporter-turned-chef Jen Royle’s single-room restaurant plates are passed family-style, serving utensils are shared, and new friends are made. For obvious reasons, that approach is on hold for now—but the twice-nightly seatings are still a hit with Royle’s loyal fans, who come for the Italian comfort-food classics (including some of the best meatballs in Boston) e gregarious personality. Her following is big enough to support two new projects, too: Table Mercato, a neighboring market for grab-and-go foods and Italian groceries, as well as the forthcoming Table Caffé, which will focus on sandwiches and gelato.

Tenoch Mexican

Who knew that the Boston neighborhood inextricably associated with Italian food would happen to be home to one of Boston’s best Mexican restaurants? Anyone who has been to Tenoch, that’s who. The Medford-born trio of restaurants opened in the North End in 2014, and we’ve been fiending for the tortas ever since. When you’re not chomping on telera bread sandwiches stuffed with fried chicken, sausage, and gooey Oaxacan cheese, though, you’ll find equally tremendous tacos, burritos, enchiladas, and more.

Tony & Elaine’s upgrades nostalgic Italian-American comfort-food joints. / Photos by Justin Power

Tony & Elaine’s

One of Little Italy’s newest red sauce joints, which opened on the edge of the neighborhood in early 2019, is instantly familiar—but way better than you remember. Sink into a plush, red vinyl booth at a checkered-red table—yes, that really is Billy Joel’s “Scenes From an Italian Restaurant” on the speakers. Then dive into old-school Italian-American comfort foods like mozzarella sticks, spaghetti and meatballs, and crispy-juicy chicken parm.

111 N Washington St., Boston, 617-580-0321, tonyandelaines.com.

Man can not live on pasta alone—sometimes, even in a sea of red sauce joints, you just need some elevated New American gastropub fare to set your mouth a’watering. In that event, Ward 8 is where to go. A big four-sided bar dominates the buzzing interior, ready to pour out plenty of fine whiskeys and shake together drinks like the spicy-sour Trial by Fire, made with green chili-infused vodka and hellfire bitters. Once your thirst is sufficiently slaked, find sustenance in the form of tantalizing duck wings smothered in a sweet chili and sesame glaze, or braised short ribs with sunchoke purée, spring onions, and roasted carrots.


Shelter from the rain

If storms threaten, take heart. Treat the kids to a spin on the Flying Horses (508-693-9481, mvpreservation.org/properties/flying-horses-carousel) in Oak Bluffs, the oldest platform carousel in the country, then head across the street for pizza and family fare at Giordano’s (508-693-0184, giosmv.com), an island staple.

Satisfy your curiosity about the island’s past and present at the Martha’s Vineyard Museum (508-627-4441, mvmuseum.org) in Edgartown, which this summer features a photo exhibition on the immigrants who call the island home.

Despite the name, the Vineyard doesn’t have any commercial vineyards, but it does have two breweries. Bad Martha (508-939-4415, badmarthabeer.com) in Edgartown and Offshore Ale (508-693-2626, offshoreale.com) in Oak Bluffs both serve food as well as hyperlocal beer.

Or take in a movie. In addition to first-run theaters in Edgartown and Vineyard Haven, the Martha’s Vineyard Film Center (508-696-9369, mvfilmsociety.com) in Vineyard Haven screens indie flicks. Though the Martha’s Vineyard Film Festival (508-645-9599, tmvff.org) is in March, the Summer Film Series schedules documentaries and festival-circuit narratives from June 28 through August, often with speakers included.

Flying Horses Carousel. Maria Thibodeau

Santa Maria Novella, The World's Oldest Pharmacy, Is A Best-Kept Beauty Secret

You can find them in Florence in one special place: The Officina Profumo -- Farmaceutica di Santa Maria Novella. On your next luxury trip to Florence, you must, must, must visit this under-the-radar attraction. It's one of the world's oldest pharmacies, which once made treatments for the Black Death. Today, the Florentine company makes award-winning, botanically inspired beauty products that inspire a cult following.

The Officina Profumo — Farmaceutica di Santa Maria Novella is an off-the-grid beauty secret that inspires much excitement among globetrotters. It has 75 stores worldwide—including one in New York City on Lafayette Street — and it does no advertising. Instead, it relies on word-of-mouth from its wildly enthusiastic patrons, who swoon over its special skincare, perfumes, soaps, body care and much more.

The shopping area of Santa Maria Novella, the world's oldest pharmacy in Florence

Santa Maria Novella is a museum and a pharmacy selling lotions, potions, notions and nostrums.

Much more than a museum, Santa Maria Novella in Florence is a mecca for beauty junkies and lovers of history.

The luxury perfumes, soaps, beauty products and other goods are all handmade in the Old World way, and every day more than 2,000 beauty-obsessed travelers visit the shop on the Via della Scala. There, they not only can learn about and indulge in beauty confections but can use the free Wi-Fi and refresh themselves in the tea room. There’s also a museum, where tourists can view original 16th– and 17th-century pharmaceutical pottery, and early books offering an alchemist’s view on how to combat the bubonic plague. You can also see some of the original soap machines that were used up to the year 2000. Today, the soaps are still handmade, one by one, wrapped and then aged for 30 days on ventilated clapboards. “They last three times more than other soaps,” says Gianluca Foà, chief commercial officer, who granted me an individual tour of the premises.

Santa Maria Novella is probably the world’s oldest apothecary. It was started in 1221, when there were outcasts living in Florence, Foà says. “Monks were called in to take care of the outcasts and preparations were made to help them while a convent was established… The monks (later) tried to defeat the Black Death.” One of the earliest preparations, in 1380, utilized roses, as the monks thought that petals of roses combated pestilence. Thus distilled rose petals — rose water — was born.

In the 16th century, when Catherine de’ Medici became queen of France, she brought Florentine customs to the royal court. One was the wearing of perfume and she commissioned the Dominican monks to create a fragrance in her honor, “Eau de la Reine.” It represents the first time that alcohol (and not olive oil or vinegar) was used in the preparation of perfumes. Today, the fragrance, called Acqua di S. M. Novella in Italian, is a bestseller.

In 1614, Friar Angiolo Marchissi created the Acqua di Santa Maria Novella. This elixir, to be diluted in a glass of water, was originally called “anti-hysterics water” and contains essential oils of aromatic plants.

Potpourri is one of the pharmacy's emblematic products, create d in the middle of the 17th century. It is a mixture of buds, leaves and flowers typical of the Tuscan hills.

Today, the imperial houses of Japan and the United Arab Emirates purchase products for their households from the tony pharmacy. Santa Maria Novella is a particular favorite of the Asian market, which comprises a large part of the clientele. “Our customers understand that we create different products. We have a high position in the marketplace… We carry on the tradition of the monks with innovations in our laboratories,” Foa says.

The products include Pasta di Mandorle, a hand moisturizer containing almond paste Polvere per Bianchire le Carni for facial restoration and a line of restructuring shampoos and conditioners. The Acqua di Colonia — filled with violets — is sumptuous. There’s a wide selection of products designed specifically for babies, a freesia cream that will soon be available to the US market, and an award-winning anti-wrinkle eye contour gel that won raves in a newspaper in Korea called Fluido Antirughe Contorno Occhi. The new antioxidant skincare line, the Aetas Salubris, features a day cream made with milk thistle and a regenerative serum made with apple stem cell extract.

Freesia cream that is made only in Florence at Santa Maria Novella

“Our aim is to always increase the level of our quality,” Foa adds. Many of the products are made with irises, which are an important ingredient in its face and body powders. “It costs 30,000 Euro ($31,820) for one liter,” Foa says. “We win because our quality is like that and our customers recognize it.”

Indeed, the iris, the symbol of Florence, is featured in a special toothpaste.

And in our time, the brand has, of course, found its way into Hollywood movies, In addition to being featured in films such as “Hannibal,” and “Portrait of a Lady” (with Nicole Kidman), the company’s pomegranate perfume made an appearance in the James Bond movie “Casino Royale,” starring Daniel Craig. After the character of Vesper (played by Eva Green) dies, her handbag is opened by 007, and the luxury perfume is seen inside. “Oh yes,” Foa says, “Miss Green is also a customer.”


Best Kept Secrets In South Carolina

Which hidden gems in South Carolina should I visit?

There are many lesser known places in South Carolina you can visit to discover the hidden beauty in them all. For a scenic town, take a trip to Walhalla, South Carolina. This picturesque town is marvelous in the fall especially. It’s also close to hidden gems like the Stumphouse Tunnel. You can take a trip to a nostalgic country store in the Palmetto State by visiting Cooper’s Country Store in the town of Salters. It looks right out of the good old days, and it’s fun to visit for the whole family. It’s no secret that South Carolina’s beaches are popular summer destinations. Skip the busy places like Myrtle Beach and discover some of the other great spots along the coast that are quieter but just as fun. Edisto Beach is a good example of exactly that, with beautiful sandy shores that don’t have every square inch taken up by someone else’s beach towel.

What one-of-a-kind destinations can I visit in South Carolina?

With so many things to do in South Carolina, here are a few that should top your list when visiting since they are unique to the state. Not many states can say they have a “fountain of youth,” but SC is said to have exactly that just out in a seemingly random spot in the woods. Gods Acre Healing Springs is a simple spot with a pipe in the ground with fresh spring water running from it. This water is said to have healing properties and people swear by it. Another unique spot is a topiary garden unlike any other, with a unique story behind it. Pearl Fryar’s Topiary Garden in Bishopville has delighted many passersby for years. The enchanting shapes and patterns made in the bushes and trees of one man’s yard are quite impressive and worth checking out at least once.

What are the best little known restaurants in South Carolina?

If you enjoy discovering restaurants that may seem a little off the beaten path, so to speak, South Carolina has plenty that are worth seeking out. Charleston is known for its great culinary establishments, but not so many people know places like the Coast Bar and Grill are hiding down alleyways. They may be hidden, but their food is spectacular. Edisto Island, South Carolina has a restaurant hiding inside an old post office that’s fittingly named The Old Post Office. Their tasty dishes are worth a try. If you enjoy German food, there’s a restaurant in Myrtle Beach called the Cafe Old Vienna with tons of charm and a menu full of deliciousness.


Assista o vídeo: MINHA CASA ALUGADA EM BOSTON, NOS EUA


Comentários:

  1. Stoffel

    o pensamento muito divertido

  2. Pernell

    É a surpresa!

  3. Stanway

    Neste algo está. Obrigado pela ajuda nesta pergunta. Tudo ótimo.



Escreve uma mensagem